Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

longboard



Domingo, 17.12.06

! H-BOMB - TESTES NO ARTICO !

É caso para dizer... 

FRIO? EU NÃO TENHO FRIO. TENHO UM H-BOMB E O MEU PAI TAMBÉM!!!

O nativo da Florida Adam Wickwire e a havaiana Elise Garrigue fizeram parte de uma missão com o intuito de atestar o novo fato da Rip Curl - H-Bomb, nas geladas águas do Árctico. Wickwire e Garrigue passaram oito dias à procura de ondas no gélido Norte Atlântico, colocando em prova o novo fato aquecido da Rip Curl.

slater88.jpg

O H-Bomb é o primeiro fato aquecido do mundo, desenhado para manter o surfista quente (mesmo em água extremamente fria), através do posicionamento de dois elementos de fibra, que conduzem electricidade, gerando calor.

O novo fato da Rip Curl foi sujeito a múltiplos testes, na sua fase de produção, contudo, no Árctico, o H-Bomb passou por condições que nem os laboratórios de ciência foram capazes de reproduzir. Nesta missão, a temperatura do ar rondou os -5 a -10 graus Celsius, com ventos gélidos que chegaram a -20ºC.

Durante as sessões de surf, a temperatura da água chegou a registar -1ºC. “Por vezes estava tanto frio que quando íamos surfar, não conseguia-mos meter o fato lá fora, tínhamos que ir para o carro, e de seguida esperávamos até que o H-Bomb começasse a aquecer. Assim que a borracha aquecia, com o nosso gorro, botas e luvas era fácil entrarmos na água.”, explicou Garrigue.

“A surfar o frio nem era um factor presente, porque os fatos são excelentes.”, continuou Garrigue, que passa o ano a viajar com a equipa Rip Curl Search, “A única vez que sentias a água era quando mergulhavas, o que até ajudava porque a água circulava pelo fato, contribuindo para uma distribuição do calor. Foi como surfar em água normal. Foi uma aventura incrível. Nunca tinha estado num sítio tão frio. As ondas estavam excelentes e os fatos H-Bomb permitiram-nos surfar em locais nunca dantes surfados.”

slater88.jpg

O Rip Curl H-Bomb continuará a ser submetido a testes rigorosos, até ser lançado no mercado a meio do ano de 2007.

http://www.ripcurl.com/hbomb/ - Já se justificava um pagamentozito pela publicidade...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por longboard às 13:44

Domingo, 17.12.06

CURTA-METRAGEM RELATA DESAPARECIMENTO DE SURFISTA

Maitê Proença é a protagonista da curta-metragem “Barros”, baseada na polémica que envolveu o desaparecimento de um surfista numa lendária lagoa no sul do Brasil.

slater88.jpg

Nesta lagoa, por vezes o vento nordeste sopra fortemente, acima de vinte nós, o que pode levar à formação de ondas. Porém não há peixes, não há algas, não há nenhum ser vivo.

Ninguém se arrisca a tomar banho, acampar nas margens ou a passear de barco, nas suas águas. Histórias sombrias são bastante conhecidas pelos habitantes da região e visitantes mais assíduos, mas jamais receberam a devida atenção de quem investiga o sobrenatural. O mistério que envolve desportistas que são sugados na Lagoa dos Barros, no Rio Grande do Sul, e levados para o oceano, a milhas da costa, é o alvo central de "Barros", nova curta-metragem de Pedro Foss, que aos 21 anos realiza a sua sexta produção em curta-metragem.

Foss, é o mesmo criador do irreverente "A Última Onda", com Paulo Zulu, Nívea Stelmann e Nelson Diniz no elenco, que denuncia a morte de surfistas em redes de pesca no litoral sul do Brasil.

"Esqueçam tudo o que já ouviram sobre a Lagoa dos Barros, por que há algo muito além das lendas que conhecemos, naquelas águas. E é isso que mostraremos. O facto de fazermos suspense psicológico, não nos impede de trabalhar a essência do desporto, o que, a meu ver, é muito importante, já que é mostrado um lado mais humano, pouquíssimo visto em filmes deste género. Não chegaríamos a esse clímax se fizéssemos documentários de aventura, e nem teríamos artistas deste porte, se fossem filmes sem histórias fortes.

Contamos o caso de um surfista que procura melhorar a sua técnica para um campeonato que pode mudar sua vida. É a praticar kitesurf no fim-de-semana, na companhia da namorada, que ele desaparece nas águas.", comenta o director, responsável por reunir um dos melhores elencos já vistos numa produção de cinema académico no sul do Brasil. Na curta-metragem “Barros”, Maitê Proença interpreta uma incrédula psicóloga, escritora de um polémico livro sobre tanatologia. No enredo, decide auxiliar a jovem, que se encontrava em estado de choque, por ter assistido o namorado desaparecer enquanto praticava kitesurf na Lagoa dos Barros. No final, a médica depara-se com algo muito além dos seus conhecimentos. Algo que pode faze-la atravessar as fronteiras do real, e nunca mais voltar.

"Trabalhar assim com actores célebres, é um desafio muito grande. Principalmente quando eles vêem que sou muito jovem. Comecei a trabalhar neste ramo, desde que entrei para a Universidade, aos 17 anos, e hoje ainda mantenho o mesmo ingrediente. É o meu diferencial. No futuro quero poder olhar para o meu trabalho e dizer: Criei oportunidades e não esperei simplesmente que aparecessem." Comenta Foss, que já começou a rodar as primeiras cenas, com a assistência de Marta Lisboa, mesma parceira de "A Última Onda", e com o apoio da Surfclipe.

Fonte: SurfTotal

Autoria e outros dados (tags, etc)

por longboard às 13:26


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2006

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31